Investidor Defensivo

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

[Guest Post] Os 10 Maiores Mitos Sobre Dinheiro e por que Você Precisa Parar de Acreditar Neles Agora



De acordo com estatísticas recentes, apenas 0,08% dos brasileiros são milionários.
Repetindo: somente 0,08% dos brasileiros são milionários.
Isso significa que uma quantidade insignificante de pessoas morando aqui em nosso país acumula um patrimônio igual ou superior a US$ 1 milhão – a pesquisa leva em conta a moeda americana, o dólar.
O que isso significa?
Essa estatística nos mostra que é bem pouco provável que tenhamos encontrado um milionário em nossa vida.
Se há tão poucos assim aqui no Brasil, a chance de você conhecer um pessoalmente ou ter conversado com um deles também é baixíssima.
E o que isso quer dizer?
Quer dizer que você muito provavelmente não conhece as verdades nas quais os verdadeiros milionários acreditam.
Tendo conversando somente com pessoas que ainda não alcançaram a independência financeira, grande é a chance de que você vá permanecer no seu atual nível socioeconômico por um tempo.
Por quê?
Isso acontece porque não estamos aprendendo com as pessoas certas.
Ou seja, os verdadeiros milionários.
É por isso que neste artigo eu quero te apresentar os 10 maiores mitos sobre dinheiro em que muitos provavelmente acreditam.
Este texto foi inspirado na obra “Os mitos do dinheiro”, de Gabriel Torres.
Os mitos presentes aqui são mentiras que os milionários já entenderam, e você também precisará entender caso queira alcançar sua liberdade financeira.
Mas já vou avisando: este é um artigo que vai de encontro com alguns mitos em que você provavelmente acredita.
Portanto, é bom se preparar para ter as suas estruturas abaladas.
Dito isso, vamos à lista dos mitos!

MITO #1 – DINHEIRO NÃO TRAZ FELICIDADE


Esse provavelmente é um dos mitos mais disseminados a respeito do dinheiro.
E muitos acreditam verdadeiramente que o dinheiro não pode trazer felicidade.
Mas será que isso é verdade?
Vamos pensar um pouco a respeito desse assunto.
Imagine que você seja uma pessoa paupérrima, sem acesso a serviços básicos, como educação, saúde, transporte, alimentação digna, etc.
Diante de tantas dificuldades, é compreensível que um indivíduo nessa situação possa ser considerado infeliz.
O que uma grande quantidade de dinheiro na vida dessa pessoa poderia fazer?
Provavelmente resolver todos os seus problemas!
Com muito dinheiro, ela poderia buscar educação de qualidade, consultar com os melhores médicos para curar suas doenças, comprar um belo de um carro para se movimentar pela cidade e comer nos melhores restaurantes que existem.
Depois de fazer tudo isso, dá ou não dá para dizer que essa pessoa seria um pouco mais feliz?
E quem foi o principal responsável por isso?
O dinheiro!
Porém, mais do que comprar bens e serviços, o dinheiro é capaz de comprar algo que muitos buscam a vida toda: liberdade.
Você pode escolher fazer tudo aquilo ou nada disso.
Isso porque você tem a liberdade de escolha, algo que as pessoas que não possuem dinheiro infelizmente não têm.
Contudo, alguns provavelmente já devem estar pensando: “E aquelas pessoas milionárias que vivem depressivas e cometem suicídio?”.
Sim, isso existe, mas não dá para dizer que isso é culpa do dinheiro.
No final das contas, tudo vai depender do que você faz com o dinheiro.
Mas ele pode, sim, comprar muita felicidade na medida em que pode garantir a liberdade das pessoas.

MITO #2 – O DINHEIRO É SUJO

O dinheiro é sujo mesmo?
Bom, aí vai depender do que exatamente você está falando.
Se você estiver fazendo referência ao dinheiro físico, posso dizer que ele é bem sujo mesmo.
De acordo com uma pesquisa científica feita com notas de real em 2001, cerca de 30 bactérias e fungos podem estar presentes em cada centímetro quadrado de uma cédula.
Ou seja: aproximadamente 83.900 microrganismos por nota.
Porém, se a pergunta a respeito do dinheiro (se ele é sujo ou não) estiver fazendo referência ao conceito de riqueza, posso dizer que esse é mais um mito.
É verdade que há muito dinheiro sujo por aí.
Grandes quantias desviadas pela corrupção, lavagem de dinheiro, suborno, dinheiro de roubos, sequestros e assassinatos, fraudes e superfaturamento de contratos... se precisasse, a lista poderia continuar indefinidamente.
Mas mais uma vez, a culpa não é do dinheiro.
A culpa é das pessoas que o utilizam para cometer crimes.
Seguindo a mesma lógica, poderíamos dizer que o dinheiro também é muito “bom”, uma vez que ele traz muitas alegrias.
Mais uma prova de que tudo depende de como o dinheiro é utilizado.

MITO #3 – O DINHEIRO É A RAIZ DE TODO O MAL


Esse é um dos mitos mais difíceis de rebater.
Isso porque ele é inspirado em uma suposta passagem bíblica que condena o dinheiro como a raiz de todo o mal.
Porém, não é exatamente isso que encontramos na Bíblia.
Encontramos o seguinte em 1 Timóteo 6:10:
“[...] pois o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram com muitos sofrimentos.”
Percebe a diferença?
No mito que as pessoas mal-intencionadas tentam disseminar, elas esquecem de falar que é o “amor ao dinheiro” a origem de todo o mal.
E de fato: uma pessoa gananciosa e que quer ganhar dinheiro passando por cima de tudo faz jus a essa mentira.
Porém, não é isso que o versículo bíblico ensina.
Portanto, trata-se de um mito e não há problema nenhum com as pessoas que estão em busca do dinheiro.

MITO #4 – A QUANTIDADE DE DINHEIRO NO MUNDO É LIMITADA



Essa é uma mentira espalhada nos últimos anos por causa do crescimento populacional.
O argumento dos que defendem isso é o fato de que cada vez mais pessoas ficam pobres.
Mas essa é outra mentira.
No Brasil, por exemplo, o nível de pobreza tem apresentado uma redução considerável nos últimos anos, e isso sem que o crescimento populacional ficasse paralisado.
É verdade que o aumento da riqueza nas classes menos favorecidas é apenas um dos fatores.
No final das contas, a desigualdade social e a pobreza nada tem a ver com a limitação do dinheiro.
Esse é um problema que está mais relacionado com a má distribuição dos recursos e crimes financeiros do que qualquer outra coisa.
Portanto, não acredite no mito de que o dinheiro do mundo está acabando.

MITO #5 – OS RICOS SÓ FICAM RICOS ÀS CUSTAS DOS POBRES



Essa é uma generalização e, como a maioria das generalizações, está muito errada.
O que ela afirma é que todas as pessoas que acumularam uma grande quantidade de dinheiro só conseguiram fazer isso porque outras pessoas empobreceram.
Será que um absurdo desses pode ser verdade?
É claro que não!
Na verdade, muitas pessoas acabam ficando pobres porque não sabem administrar muito bem o seu dinheiro.
Elas ficam pobre porque não conseguem fazer um bom planejamento financeiro pessoal para mudar de vida.
Em vez de poupar ou investir em educação ou produtos financeiros, acabam comprando supérfluos e gastando um dinheiro que não têm.
Os governos também têm boa parte da culpa no cartório.
Com políticas que apenas incentivam o consumo, acabam colocando a população economicamente mais frágil em situações ainda mais perigosas.
Isso sem falar no problema de distribuição de renda, do qual eu já mencionei no mito #4.

MITO #6 - É MAIS FÁCIL UM CAMELO ENTRAR PELO BURACO DA AGULHA DO QUE UM RICO ENTRAR NO REINO DE DEUS



Aqui vai mais um mito inspirado em uma passagem bíblica.
E, como não poderia deixar de ser, trata-se de uma interpretação errada da Bíblia.
O texto em questão é Mateus 19:24:
“E lhes digo ainda: É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus.”
A passagem conta a história de um jovem rico que se aproxima de Jesus para saber como poderia conseguir a vida eterna.
A resposta acabou não agrando muito a quem fez a pergunta.
Jesus respondeu que ele deveria doar todos os seus bens para os pobres, deixar tudo para trás e segui-lo.
Será que com isso a Bíblia estará condenando o acumulo de bens e a riqueza?
Mais uma vez, uma interpretação errada.
Na verdade, aqui vale o mesmo raciocínio usado no mito #3.
O problema do jovem rico (e de muitas pessoas atualmente) é a busca da riqueza sem um propósito definido ou com más intenções.
Esse foi o motivo pelo qual levou Jesus a repreendê-lo.
Em seguida, ele disse que seria mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico (com uma mentalidade totalmente pervertida) entrar no reino dos céus.
Aqui Jesus está fazendo referência às pessoas que amam o dinheiro acima de tudo.

MITO #7 – SÓ É POSSÍVEL FICAR RICO ROUBANDO



Em tempos de crise política, esse é um mito que tem ganhado força aqui no Brasil.
Muitos realmente acreditam que só é possível enriquecer se recorrermos a métodos ilícitos.
A nossa classe política infelizmente é o maior exemplo disso.
Porém, o que nós precisamos entender é que eles (e muitos outros) representam a exceção da regra.
Os jornais acabam se concentrando nos crimes cometidos por essas pessoas porque é isso que dá audiência.
Mas poucos noticiários falam dos milhares de pessoas que enriquecem de forma justa e honesta.
E acredite: há muitos espalhados por aí.
No final das contas, muitos acabam usando esse mito para justificar seus próprios atos.
Roubam e cometem outros crimes com a desculpa de que esse é o “único jeito”.
Não, não é.
É possível enriquecer sem precisar recorrer a métodos ilegais e que vão apenas prejudicar outras pessoas.

MITO #8 – SÓ GANHA DINHEIRO QUEM TEM DINHEIRO



Esse é outro mito usado por aquelas pessoas que querem dar apenas desculpas.
Pessoas que ainda não alcançaram a riqueza que desejam acabam culpando exatamente a falta de dinheiro como o motivo de seu infortúnio.
E ainda apontam para outras pessoas julgando-as de terem ficado ricas só por causa de heranças, prêmios de loteria ou sorte.
Elas esquecem que o trabalho duro, estudo e dedicação representam a combinação perfeita para o sucesso.
Inclusive financeiro!
É verdade que uma herança ou um sorteio podem acelerar o processo.
E bastante!
Mas de nada adianta ganhar uma bolada se você não souber administrar todo esse dinheiro.
Afinal, você nunca ouviu falar da história de ganhadores da loteria que simplesmente voltaram a ficar pobres novamente depois de um tempo?
Quanto a sorte, gosto de pensar exatamente como Louis Pasteur, um renomado cientista francês do século XIX:
“A sorte favorece a mente bem preparada.”

MITO #9 – INVESTIMENTO É COISA DE RICO



Mito!
A Caderneta de Poupança, uma das piores formas de investir o seu dinheiro, está aí para provar que essa é uma mentira.
Trata-se de uma das formas mais fáceis de fazer o dinheiro render juros compostos, já que na maioria das vezes só é preciso uma conta em banco para fazer aplicações.
Porém, essa está longe de ser a melhor opção!
O Tesouro Direto é uma alternativa igualmente simples (é possível investir a partir de R$ 30) e só exige uma conta em uma corretora de valores.
Confira aqui todas as minhas publicações sobre esse que eu considero um dos investimentos mais simples de se fazer para os “iniciantes” nessa arte.

MITO #10 – QUEM QUER FICAR RICO É EGOÍSTA
 
“Como é que você pode estar pensando em ficar rico quando há tantas pessoas passando necessidade?”.

Essa é uma pergunta que alguns podem acabam encontrando durante o caminho para a jornada até a independência financeira.
Mas a pergunta que fica é: qual é a relação entre o seu desejo de ficar rico e a pobreza das pessoas?
Desde que você esteja fazendo tudo de forma honesta, não há nada de errado em perseguir os seus objetivos.
Mesmo que ele envolva o acumulo de dinheiro.
Não é por causa disso que outras pessoas estão passando necessidade.
Porém, se você estiver recorrendo a métodos ilícitos, é provável que outras pessoas estejam sendo prejudicadas.
Sendo assim, desde que você esteja agindo de forma totalmente honesta, não há problema nenhum em buscar riqueza!

CONCLUSÃO
Se esses mitos chamaram a sua atenção, é muito provável que você vá gostar deste meu artigo também: Como (Não) Ficar Rico Rápido: 7 Mitos Pouco Conhecidos Sobre Dinheiro que Podem Arruinar Suas Finanças.
Nele eu explico algumas outras mentiras que são espalhadas por aí.
Mentiras provavelmente contadas por pessoas que não são ricas e não têm propriedade para falar sobre o assunto.
Eu também transformei o artigo em um vídeo, caso você tenha mais facilidade em absorver o conteúdo dessa forma.
Se você gostou deste artigo, não se esqueça de comentar a sua opinião!
Eu vou ficar muito feliz em saber o que você achou desse meu artigo. :-)

Até a próxima!
Ramiro Gomes Ferreira